Notícias

24.07.2018

CRF/SE RECEPCIONA 24 NOVOS FARMACÊUTICOS



Na tarde desta segunda-feira, 23 de julho, o Conselho Regional de Farmácia de Sergipe (CRF/SE) recepcionou 24 novos farmacêuticos. A cerimônia, que incluiu falas do Presidente do Conselho, Marcos Rios; do Diretor Tesoureiro, Fábio Ramalho e da Conselheira Federal Vanilda Aguiar, aconteceu na sede do Conselho e teve como objetivo apresentar o CRF/SE para os novos farmacêuticos, falando sobre a sua função principal de fiscalização e sua importância para a sociedade. Além disso, foram abordadas também questões relacionadas ao exercício da profissão farmacêutica e, por fim, foi realizada a tão esperada entrega das cédulas de identidade profissional.  

 

A Cerimônia de Juramento

A Cerimônia de Juramento ocorre uma vez ao mês e, durante a sua realização, os membros do CRF/SE recebem os novos farmacêuticos que solicitaram a inscrição no Conselho. Na ocasião, os recepcionados juram o Código de Ética do farmacêutico e recebem a sua cédula de identidade profissional, documento obrigatório para o exercício da profissão farmacêutica.

A solenidade trata-se de um marco na carreira inicial dos farmacêuticos, que a partir de agora podem exercer a sua profissão de forma legal e regulamentada.


Gratidão apesar das dificuldades

Cuidar das pessoas sempre foi uma das paixões de Myllena Matos dos Santos, farmacêutica recém-formada pela Universidade Tiradentes (Unit). Portanto, na hora de escolher o que ia cursar na faculdade, não teve dúvidas: queria ser farmacêutica. Nessa trajetória, ela acabou entrando no curso em 2013 e conta que esse período da faculdade não foi fácil: todos os dias ela ia e voltava da sua cidade natal, Nossa Senhora do Socorro, até a capital para estudar. “É mais de uma hora de viagem e tinham dias que eu chegava em casa e já era mais de 11 horas da noite”, relembra.

Apesar disso, Myllena avalia positivamente esses anos e diz que, mesmo com as dificuldades, estar formada no curso que ama é gratificante: “Foram cinco anos de luta, de surpresas, de provações... São várias derrotas, mas também tem as vitórias e, agora no final, o que posso dizer é que estou com a sensação de dever cumprido”, explica. “O curso de Farmácia é um dos mais difíceis, mas no final vale muito a pena. Então, para quem ainda está na faculdade: não desista, vai ser gratificante no final”, aconselha.

Myllena foi uma das farmacêuticas recepcionadas pelo CRF/SE na tarde desta segunda-feira e, para ela, esse é um importante momento para a sua vida profissional. “É indescritível”, afirma. “Sempre fui muito comunicativa e sempre tive muita vontade de cuidar das pessoas, então ser farmacêutica e poder estar aqui é emocionante e me traz muita felicidade. É inexplicável”, descreve.

 

Paixão que nunca morreu

Desde os 15 anos de idade, Maria do Amparo Carvalho Santos trabalha como balconista em farmácias de Aracaju. Mesmo assim, sua paixão pela língua inglesa foi mais forte e ela acabou ingressando na faculdade para cursar Letras Português/Inglês, chegando inclusive a se pós-graduar na área. Até que ela percebeu que se identificava de verdade com a Farmácia e resolveu voltar para a faculdade em 2013.

 

Agora, após cinco anos de curso, Maria conta que poder ser chamada de farmacêutica e exercer essa profissão é bastante satisfatório. “Amo estar no balcão, atender as pessoas e poder fazer o bem ao próximo. É muito bom saber que você pode amenizar a dor das pessoas”, afirma.  “Estar aqui agora no CRF/SE é muito importante para mim, não tenho palavras para descrever bem minha emoção. É um curso muito difícil e a trajetória é árdua. Mas, é imensa a gratidão que eu estou sentindo e posso dizer que estou realizada”. 







Copyright © 2018
Direitos Reservados